VEM PEDALAR
Domingo, 18 de Julho de 2010
pedalada na "quinta"

saí em direcção a sernada com ideia de fazer umas subidas.

 

poucos carros, indicava pouco pessoal a pedalar, possívelmente de férias ou com receio do calor.

a montar a bike estava o rui graça e o amigo felix. iniciámos a pedalada logo com subida, a seguir à ponte de ferro e rumo à casa do guarda, já chegámos bem quentinhos, o calor também já se fazia sentir. sentados a repôr energias um grupo de 5 bttetistas à sombrinha da àrvore que fica mesmo em frente à parede da casa do guarda. fiz o mesmo e aproveitámos para conversar.

 

seguimos até aos cinco caminhos  e fui mostrar a cascata da fílveda, pois nunca tinham pedalado até aquela zona. a placa que indica a cascata, foi vandalizada e tinha desaparecido, muita sujidade no caminho, com papéis no chão. infelizmente as pessoas não sabem ser civilizadas, proteger e usufruir da nossa natureza.  a parede que dá para o parque de dornelas, mais uma vez foi demais para mim, o piso está muito solto e com muito cascalho e pedra, dificultando a progressão, tive de subir a pequena parede a pé, não gostei nada. duma próxima vou conseguir fazê-la.

a subida até ao arestal já não se efectuou, o tempo dispendido na cascata é sempre "demais", faltando depois para se fazer uma volta maior e mais puxadinha. o felix também já não pedalava havia muito tempo e as pernas já não estavam no seu melhor, por isso impunha-se não subir muito mais. retornámos por dornelas até aos cinco caminhos e descemos a abrir até ao gavião, a adrenalina da descida foi ao limite, dando um gozo enorme fazer as curvas a grande velocidade. continuámos até vale maior e junto ao rio até à ponte de ferro de sernada.

 

depois foi a mini fresquinha  no café da estação. foi um bom treino, durinho, com o rui a mostrar uma boa condição física, também a scot rigida de carbono ajuda um bocadinho.

 


tags:

publicado por bttmais às 23:40
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 13 de Julho de 2010
freita 2010-07-10 / merujal-tebilhão

chegámos ao estacionamento em frente do parque de campismo do merujal, por volta das 9h30, o calor já se fazia sentir, ìa ser um dia bem quente, mesmo assim muita gente preparada para caminhar.

 

 

iniciámos o percurso ligeiramente a descer pelo lado nascente da serra, mostrando-nos arouca do nosso lado esquerdo e a encosta bem verde, com as eólicas lá em cima do lado direito. fomos circundando a aldeia de albergaria da serra, até que subimos ao planalto por alcatrão.

 

 

no planalto da serra, saímos do alcatrão para entrar por um caminho tipo pedreira, que nos levou a atravessar o rio caima, que nasce  na serra da freita, corria apenas uma fina língua de àgua. como não estávamos satisfeitos voltámos para trás pois tinha sido um erro de navegação. agora sim, ligeiramente a subir, foi preciso muita técnica para conseguir ultrapassar aquele mar de pedra a pedalar, não imaginávamos o que nos esperava.

 

por estrada descemos vertiginosamente até tebilhão, onde nos refrescámos e enchemos os sacos com àgua bem fresquinha. com passagem pela igreja, descemos até à aldeia. meia dúzia de casas bem lá no fundo, viver ali não deve ser nada fácil. continuámos a descer por uns carreiros estreitos e empedrados, que deu para divertir, até começarmos a subir para a aldeia de cabreiros, uma comprida e difícil parede.

 

resolvemos comer as sandes que levámos,  na estrada para candal lá encontrámos um cafézinho com uma mesinha de pedra à sombra de uma latada de kiwis. as minis caíram mesmo bem, estávamos ressequidos, a temperatura rondava os 35º. ainda dei a sugestão de irmos a candal e coelheira, mas ninguém teve vontade e retomámos o percurso. a pequena escola de cabreiros mostrava sinais de abandono de alguns anos.

 

de cabreiros começámos a descer para o rio de frades, por um caminho inclinado e empedrado de xisto lascado, que faz parte do pr28. foram cerca de 4 kms a pé, com uma paisagem espectacular, com as encostas da serra a ladearem-nos e no vale uma fina linha ondulada a distinguir-se, os meandros do rio de frades, soberbo.

 

soberbo foram mesmo os mergulhos que demos numa das lagoas do rio, com a àgua corrente a borbulhar,  fez-nos desfrutar de momentos singulares, que ficam retidos na memória.

em bouceguedim começou a grande escalada. já estava à espera da subida de 10 kms, mas não com a dificuldade técnica que esta exigiu. estava-se a 260 metros de altitude e tinhamos de subir muito perto dos 1100 m. foi dura, muito técnica e físicamente extenuante, cheguei ao planalto com as pernas a doer, mas satisfeito por ter conseguido ultrapassar tamanha barreira quase sempre a pedalar, o que nem todos podem

 

 

 dizer o mesmo.

 houve mesmo alguém que fez do passeio de btt, um passeio de caminhada.   

 

 

 

 

 

no planalto seguimos pela estrada até merujal em grande velocidade, cansados e ansiosos por chegar e tomar mais uma mini.

 

infelizmente nem tudo correu pelo melhor, pois o jp teve uma pequena queda e o quadro ao embater numa pedra aguçada, deixou o triângulo trazeiro inutilizado, ao deixar o tubo em forma de v, veremos se a trek ainda terá agum em stock.

 

a voltinha foi bem fixe. foram 55 kms com 1500 m de acumulado ascendente e 60 kms de velocidade máxima, numa zona de paisagem ímpar, onde o contacto com a natureza na sua forma mais pura, cria vontade de regressar rápidamente.

 

 mas, na próxima ida à freita o destino terá de ser drave.

 

 

 

 


tags:

publicado por bttmais às 00:27
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 1 de Julho de 2010
o padrinho

já há algum tempo que não postava nada sobre política, a motivação tem sido pouca.

 

de facto, há muito para escrever, mas não, não vou dar a minha opinião sobre as scuts, sobre os chips,  sobre esta palhaçada.

 

em casa tinha umas revistas velhas, resolvi fazer limpeza, mas antes de as pôr no ecoponto abri uma ou outra e fiz um recorte de uma que achei bem caricato e que passo a transcrever:

 

" aquilo não é um partido político.

 

aquilo é uma organização que ás vezes...

 

meu deus, até me faz lembrar a máfia siciliana. "

 

de alberto joão jardim, sobre o partido socialista ao diário de notícias. claro esta afirmação é antes da catástrofe das cheias da madeira.

o homem agora tem que andar caladinho.

 

se calhar queria referir-se ao bloco central...

 


tags:

publicado por bttmais às 23:54
link do post | comentar | favorito

vem pedalar
só para quem gosta de música!!!!!
só para conhecedores
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


mecânica
arquivos

Novembro 2011

Outubro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

tags

todas as tags

mais sobre mim
links
Weather Forecast | Weather Maps | Weather Radar
tecnica mtb

Contador site